Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Cheiro/Perfume (dia 13)

Sendo eu uma pessoa que adora perfumes, não poderia deixar de partilhar convosco um dos que mais gosto. Aliás, até vos vou revelar dois: um que uso em ocasiões mais especiais (e que é o meu eleito) e outro que uso no dia a dia.

O meu preferido de todos: L'eau D'issey de Issey Miyake.

Este é o que gosto de usar todos os dias: Flower Party da Yves Rocher.

Apesar de ser um "perfume de catálogo" não tem o cheiro característico deste tipo de perfumes, é exactamente o contrário, por isso gosto dele. 

Isto só a mim! :S

Costumo apanhar, no autocarro, uma senhora africana com a sua filha que saiem duas paragens antes de mim. A miúda é muito gira e ambas são muito simpáticas. Boas pessoas. Como têm o cabelo frisado, costumam ter as trancinhas e aqueles penteados africanos.

 

Ontem, sentaram-se à minha frente no autocarro. Subitamente começo a sentir um cheiro estranho - lembram-se que tenho um faro muito apurado, não lembram? - e tentei percebre de que era e de onde vinha. Observei o ambiente em volta, aspirei o ar e dava-me a sensação de que o cheiro vinha da frante. Tentei Decifrar do que poderia ser aquele cheiro. Até que... descobri!

 

Então não é que a senhora tinha um rabo de cavalo a prender as trancinhas e a segurá-las tinha uma meia?!?!? Ah pois é! E daí vinha um cheirinho a cheirete a chulé que nem vos digo, nem vos conto! Eu vinha a contar os segundos para chegar à paragem onde ela saia... É que o cheiro até agoniava!

 

Agora digam lá, estas coisas só me acontecem a mim, certo? {#emotions_dlg.blushed}

 

Confissões... Íntimas (?!)

Existe uma pessoa aqui em casa - que eu não vou revelar nem sob tortura quem é  - que tem um grave problema "patal".

 

É do conhecimento geral que os ténis produzem um aroma "patal" de excelência. É inevitável, mesmo com muita lavagem e higiene.

Ora, como o calor começou a apertar, os pézinhos começaram a suar. Até aqui tudo normal. O pior é quando se soltam os prisioneiros... (entenda-se os pés)

 

Não sei o que aconteceu aos ténis da tal pessoa, que hoje exalaram um cheiro execrável. Pensei até que tivesse morrido lá algum animal ou até mesmo algum pé alheio. Rejeito a hipótese dos ténis terem vindo de algum cemitério porque vi os ténis acabados de comprar.

 

O "aroma" impregnou de tal maneira o ar que o meu pai - que nunca mete o nariz em nada - ao entrar no quarto lhe disse:

 

"quando quiseres correr com algum cliente, é só descalçares os sapatos"

 

É preciso dizer que caí da cadeira abaixo (não foi com o cheiro!)de tanto me rir?!

 

 

System Overload

  

 

 

Preparei meticulosamente umas perninhas de frango no forno para o jantar. Tinha estado na conversa com a minha amiga C., a trocar ideias de como confeccionar as ditas e tanto as ideias como as papilas gustativas estavam aos saltos só de pensar no repasto.

 

Depois de muito bem temperadinhas, foram dar uma voltinha até ao forno. Enquanto o jantar se ultimava, aproveitámos para dar banhoca ao Pimentinha que tinha o pêlo cheio de pó e com um cheiro meio esquisito.

Começam as perninhas de frango a exalar o cheiro típico de algo que está a ser assado no forno. E foi aí que tudo começou.

 

De tarde, eu tinha sentido uma má-disposição que acalmou um pouco após um chá de cidreira. Mas quando chegou a hora de tirar as pernas de frango do forno e ir degustá-las, eis que se me dá um nó no estômago e uma sensação de náusea semi-presente.

 

Vi logo que, com muita pena minha, aquele não seria o meu jantar. Aquelas pernocas gordinhas e bem temperadinhas e que me tinham dado tanta água na boca. Comecei a arrancar pedacinhos de pão e a comê-los para me esquecer da náusea e acalmar o estômago. Mas afinal que iria eu jantar? Tinha de ser algo sem cheiro, ou pelo menos que o meu olfacto não ficasse afectado. Optei por uma sopa de feijão verde que estava deliciosa.

 

Acabámos de jantar e fui arrumar a cozinha. Todos os cheiros me estavam a fazer mal. De tal forma, que nem sequer fiz um café para mim com receio de nem sequer o conseguir engolir.

Depois de lavar a loiça, com ou sem luvas, tenho o estúpido hábito de ir lavar as mãos à casa de banho. Pois até o cheiro do gel de lavar as mãos me afectou. Voltei a ir lavar as mãos, mas desta vez com o meu gel de banho de framboesa. Quando ando assim com estes sintomas, a fruta acaba por me aliviar de certa forma. E até o gel me aliviou.

 

Talvez até tenha explicação para isto: isto acontece-me quando estou naqueles dias especiais mensais ou quando o meu organismo me começa a mandar alertas de que eu já ultrapassei o limite aceitável de abusos. E desta vez eu acho que é isso mesmo. Os nervos têm-me levado a cometer grandes atrocidades que o meu estômago não suporta. Se eu já sou mais esquisita que eu sei lá o quê com os cheiros, agora imaginem quando o organismo está a fazer tilt, quando tem os red alerts todos a apitar….!!!

 

Bom, está provado e comprovado que não posso sair da linha. Não posso descarrilar senão o meu organismo zanga-se comigo e manda tudo de volta!

Lá vou eu voltar a ser uma menina bem comportada.

 

Smells Like... Something!

 

 

 

 

 

 

 

 

Não suporto o meu cheiro. Há dias, então, terríveis! E agora estou a atravessar uma fase dessas. Agudíssima! Argh!

 

 

Hei! Não é nada disso que estão a pensar…! Não é o meu odor corporal que não suporto. Até porque sou uma gaija muita perfumadinha e lavadinha. É o meu olfacto apuradíssimo, a minha capacidade “cheiratória”.

 

Ando numa fase de olfactitis terribilis aguda. Não sei se é dos nervos, se é do tempo, se é o meu cheiro a ficar AINDA mais apurado. Mas o que é facto é que ando cheia de náuseas, todos os cheiros me incomodam, e não há cheiro que escape aos outros que não venha ter com o meu nariz.

 

É altamente perturbador ter este faro apuradíssimo. Uma pessoa entra em qualquer lado e sente logo todos os odores que por ali existem, conseguindo identificar cada um deles, enquanto às outras pessoas passam ao lado.

 

Imaginem agora como é nos transportes públicos à hora de ponta… ah, pois é! Aquilo é um festival de odores… Ainda ontem eu estava a contar os segundos para chegar à minha paragem pois ia alguém perto de mim com um cheiro que me estava a provocar umas náuseas terríveis. Cheguei ao ponto de ter alucinações, de ver uma cena de vomituração ali no bus. Até já estava a imaginar a mulherzita que ia sentada à minha frente com uma camisola nova e todo o autocarro com uma nova decoração…

 

Já à hora de almoço gramei com o pivete da velha-da-camioneta (um dia destes dedico-lhe um post) e estava a ver que tinha de sair mais cedo do bus e ir o resto do caminho para o colégio a pé. Que cheiro a não sei quê…!

 

 

Heeelp! O que é que posso fazer para evitar isto? Alguém tem algum truque?! Já pensei em por uma mola no nariz mas é capaz de fazer doer um pouco...

 

 

 

Alívio Atmosférico

                                              

 

Ainda não tinha tocado no assunto mas hoje chegou o dia. Além do mais devo acrescentar que, como visionária e governante que sou - cof! cof! -, já tinha implementado a tão famosa medida, desde Agosto,  nos meus domínios (entenda-se casa e carro).

 

Como é minha prática diária, fui tomar o meu descafé ao café do costume. Senti logo uma grande diferença no ambiente. Aquela neblina e cheiro característico do tabaco tinha desaparecido. Até o descafé sou me melhor!

 

Também já fui uma moçoila de fuminhos de tabaco. Então no meu ano de estágio, a tensão foi tanta que eu não fumava, comia-os!!! Por isso, compreendo perfeitamente a necessidade de quem fuma. Mas sempre houve uma diferença entre mim e os outros: eu nunca tive vício. Tanto podia fumar um cigarro hoje como fumar o seguinte daqui a dois meses sem estar com aquela ansiedade. No fim do estágio nem podia ver cigarros à frente. Depois fumava um cigarro em casa com o N. – que é fumador. Mas cada vez foi rareando mais o fuminho.

 

A partir do momento em que fui operada, por mais estúpido que vos possa parecer, não consigo tolerar o fumo do tabaco e nem sequer consigo dar uma passa num cigarro. Blargh!

Claro que a medida de fumar fora de ambientes fechados, foi implementada na minha casa já há algum tempo e agora fuminhos só à janela. No carros, só com as janelas abertas senão fico logo maldisposta.

 

Costumo ir a dois cafés aqui na zona onde era permitido fumar. Um deles é grande e não se sentia tanto o fumo. Mas no outro é muito pequeno e tem as mesas muito juntas. Escusado será dizer que estava sempre empestado de fumo. Em cada um dos cafés há os comedores-de-cigarros-que-todos-abominam. No maior é um gajo que era insuportável estar-se perto dele. É uma autêntica chaminé ambulante e são cigarros a seguir aos outros. Desconfio que acendidos com as beatas que vai apagar.

No café mais pequeno, para além de fumadores singulares (muitos!), há um grupo muito temido: o das educadoras de infância! São algumas 5 ou 6 e todas fumadoras! É horrível estar-se perto delas.

 

Compreendo que para as pessoas que não concebem um cafezinho sem um cigarrinho, seja uma fase difícil. Compreendo que não lhes tenha agradado mesmo nada esta medida mas agora vou puxar a brasa à minha sardinha: o ar está respirável, não levamos com fumo e cheiro que não queremos, podemos beber a nossa bica tranquilos, não ficamos com aquele cheiro terrível na roupa e no cabelo e até os bolinhos estão mais saborosos!!!

 

O Perfume

 

 

Porque é que não me disseram nada? Porque é que só soube agora, por puro acaso? Quem é o culpado de a informação não ter chegado até mim?

 

Hoje é a Festa do Perfume em Évora e ninguém me disse nada! Estou muito triste! Se me tivessem dito, eu apanhava o expresso e lá ia eu a caminho. Levava os meus testes e ia vendo pelo caminho…

 

Eu que sou uma moçoila que gosta tanto de perfumes e tudo! Até costumo dizer que uma das melhores prendas que me podem oferecer é um perfume (fica já a dica para prenda de Natal… vá, vão lá trocar as caixas de chocolate por perfumes!). Então e o meu narizinho que tem um olfacto apuradíssimo? Não acham que ele ia adorar?

 

Diziam os organizadores que os homens preferem perfumes suaves e as mulheres perfumes florais. Eu cá gosto de todos. Só não sou muito apreciadora daqueles muito adocicados. Mas estes perfumes são da perfumaria francesa, por isso, todos servem.

Imagino a difícil escolha de quem lá foi. Eu estava tramada se lá fosse. Se calhar foi bom eu não ter sabido de nada…

 

O cheiro para mim é muito importante e gosto sempre de colocar uma borrifadela de perfume antes de sair de casa. Basta uma borrifadela no pulso que depois é distribuída pelo outro pulso, pescoço e roupa. Assim não é exagerado, parece o nosso cheiro natural. Jamais ponham perfume directamente na roupa pois pode manchar. Já experimentaram colocar perfume atrás,  na dobra do joelho?